Compradores afirmam ter caído em golpe imobiliário em Varginha

Golpe: vítimas afirmam que os imóveis não foram entregues

golpe

Golpe está sendo investigado (Foto: Reprodução/EPTV)

Quatorze pessoas denunciam ser vítimas de um golpe imobiliário em Varginha (MG). Elas afirmam que após comprarem as casas na planta, os imóveis não foram entregues.

Segundo as vítimas, o dono da construtora Living pedia uma entrada para o pagamento de taxas e documentos e dizia que o imóvel seria entregue em até seis meses. Mas isso não acontecia.

A auxiliar administrativa Carla Barra conta que vendeu duas motos e pegou dinheiro da poupança para dar como entrada no valor do projeto, mas não recebeu as chaves do imóvel.

“A gente já está no final de 2017 e até hoje eu não tenho a casa e não tenho mais o meu dinheiro. Porque o meu dinheiro foi entregue na mão dele para fazer essa casa e ele não fez”, reclama.

O marceneiro Antônio Adalberto conta que quando foi até o cartório, descobriu que a escritura do imóvel que havia comprado estava, na realidade, no nome de outra pessoa. “Fui lá ao cartório de imóveis e constou que o terreno que ele me ofereceu não era dele. Era de outra pessoa, inclusive era do dono do loteamento. Nessa brincadeira eu perdi R$ 29,5 mil”, diz.

A contadora Luciana Gallo chegou a ter um prejuízo ainda maior. Ela investiu cerca de R$ 140 mil para construir uma casa, que nem ficou pronta. “Toda hora ele me pedia dinheiro. Eu tirei empréstimos em três bancos, vários cheques, e toda vez ele me pedia e a casa continuava a mesma coisa, não saía do lugar, tudo igual”, relata.

A advogada das vítimas, Maria Resende, diz que o representante e dono da construtora agiu de má fé. “O vendedor tem uma incorporadora e construtora, mas os contratos foram feitos em nome da pessoa física do sócio majoritário da empresa. E esses contratos não foram levados para registro e nem ao menos têm firma reconhecida”, conta.
Ainda segundo a advogada, os compradores vão entrar com uma ação coletiva no Ministério Público contra o Rafael. “O crime é o artigo 171 do Código Penal, e o Ministério Público vai tomar as providências cabíveis e nós vamos pedir uma intervenção coletivamente”.

Rafael Henrique Nogueira da Silva, que é dono da construtora, nega ter aplicado algum tipo de golpe. Em conversa, ele garante que já entregou as casas e que atualmente só assume as dívidas com cinco clientes.

Por meio de nota, a Construtora e Incorporadora Living Ltda diz que as denúncias e reclamações não procedem. O comunicado diz ainda que a empresa, como qualquer outra do ramo, passou por dificuldades, mas que está cumprindo com suas obrigações.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.