Lista do bem surge em cidades do Sul de MG e rebate ranking polêmico

Lista do Bem surgiu nas redes sociais com sugestões de atividades para aproveitar as cidades

Lista

Lista do Bem de Muzambinho (Foto: Reprodução/Whatsapp)

O chamado “Ranking do Sexo” expôs o nome de mais 100 mulheres, que foram constrangidas e apontadas com adjetivos pejorativos. Após todo o problema causado, várias pessoas decidiram seguir o caminho contrário e se reuniram para criar a “lista do bem”.

Diferente das versões criminosas e que denegriram a imagem de várias pessoas, as “listas do bem” vieram para mudar o olhar para a cidade. Na lista “50 coisas para se fazer ao invés de cuidar da vida alheia”, os criadores dão dicas de boas ações, atividades e pontos que marcaram a vida das pessoas nas cidades.

6 – Ir de bike até o Cristo

18 – Comer a pamonha de trás da matriz

A ideia se espalhou em pelo menos duas cidades do Sul de Minas – Muzambinho e Guaranésia. Entre as 50 dicas, estão ver o pôr-do-sol em algum ponto bonito, visitar uma cachoeira conhecida, fazer uma trilha, visitar bares e padarias para comer um prato que só existe por lá. As boas ações também ganharam espaço: ajudar a APAE, participar do Natal das crianças.

“Quando surgiu o primeiro ranking, mesmo sendo de lugares diferentes, todas receberam. A lista se espalhou muito rápido e nós ficamos indignados com a exposição das meninas”, contou a estudante Amanda Goulart. Foi ela e suas amigas, todas ex-estudantes do Instituto Federal de Muzambinho, que criaram a versão positiva da lista.

40 – Ir na serrinha dos cristais

43 – Provar hambúrguer artesanal

“Uma das meninas deu a ideia de fazer uma lista com 100 coisas legais. Como nós queríamos finalizar a lista rapidamente, não completamos os 100 itens, mas fizemos 50. Depois surgiram mais ideias, mas já havíamos divulgado e a lista foi se espalhando rapidamente”.

O resultado foi centenas de compartilhamentos e comentários de gente que se lembrou de várias histórias que viveu na cidade. “Um ponto legal foi o pessoal mais velho compartilhando e relembrando a infância nas cachoeiras, usinas, os passeios nas montanhas”, explica Amanda.

“Quando vi aquela lista das ‘100 mais Put… de Muzambinho’, me deu um misto de tristeza e revolta. Me questionei: que sociedade é essa em que mulheres ainda são julgadas pelas suas escolhas sexuais?”, contou Yasmin Almada.

“Ninguém tem nada a ver com a vida do outro. Queríamos mostrar para os criadores da lista outras maneiras de usar seu tempo ao invés de tentar denegrir e atingir a vida daquelas mulheres”.

Outra amiga que ajudou a criar a lista do bem, Eveliny Reis, argumenta que a imagem da cidade foi exposta em várias partes do país de maneira triste e negativa. “O mais importante pra nós, que fomos estudar lá, era deixar claro que Muzambinho não é a cidade onde a gente nasceu, mas sim a cidade que nasceu em nós. E queremos sempre recordar de coisas boas e das pessoas maravilhosas e hospitaleiras que vivem por lá”.

Guaranésia

A história foi parecida na vizinha Guaranésia. Quando o “ranking do sexo” surgiu, os administradores de um grupo de WhatsApp de um programa de rádio pediram que ninguém compartilhasse a lista com o conteúdo ruim.

“E aí a gente entrou numa discussão que isso era negativo pra todo mundo. O locutor da rádio, Antônio Cláudio, propôs que a gente criasse no grupo uma lista de coisas boas pra se fazer em Guaranésia ao invés de cuidar da vida alheia”, explicou a Walessa Rodrigues, uma das participantes do grupo.

01 – Comer torresmo no bar do Zé

19 – Ouvir as histórias contadas pelos idosos que moram na cidade

Começaram a chegar sugestões que também formaram a lista de 50 dicas. “A gente foi escrevendo essa lista, com várias coisas legais, coisas que a gente nem lembrava que dava pra fazer aqui em Guaranésia, sabe? Que dá pra fazer desde uma criança, até um idoso”.

A Walessa sugeriu um dos seus programas favoritos. “Ver o pôr-do-sol na torre” virou o item 20 da lista. “A gente colocou mais coisas como visitar o asilo, conversar com as pessoas mais velhas da cidade, ouvir suas histórias”.

Na cidade, o resultado foi além das redes e virou metas reais, cumpridas por quem gostou da ideia. “Algumas pessoas começaram a fazer algumas dessas atividades e postar nas redes, item tal da lista”.

“Tem uma amiga minha que foi nadar no Vila. O Vila é um sitiozinho que tem aqui perto que todo mundo que é adolescente já foi nadar. Então, o pessoal foi lá, tirou fotos e postou: item 39 da lista”.

39 – Nadar no Vila

47 – Dançar ao som dos artistas da cidade




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.