Dono de bar chegou morto ao hospital após ação da PM em Boa Esperança

Homem de 28 anos, teria passado mal após ser algemado, conforme versão divulgada pela polícia

Homem

Homem já chegou morto ao hospital após ação da PM em Boa Esperança, diz prontuário médico (Foto: Reprodução OMSM)

Comerciante Flávio Henrique Rosa, de 28 anos, que morreu na noite deste domingo (6) em Boa Esperança após uma operação da Polícia Militar, já chegou sem vido ao hospital, de acordo com o prontuário médico. Na versão da polícia, Flávio Henrique Rosa foi preso por desacato, passou mal na viatura e foi levado para ser atendido no pronto-socorro.

A ação aconteceu no bar deo comerciante, que fica no bairro Vila Kardec. Os policiais chegaram para uma batida policial dentro do estabelecimento, mas, segundo a polícia, o homem reagiu e desacatou um dos policiais, sendo preso em seguida.

“Enforcou ele e os outros seguraram a mão dele. Depois que ele estava dando convulsão no chão, eles queriam algemar ele mesmo assim. Não deu socorro nenhum. Eles fizeram isso para matar”, diz a esposa de Flávio, Andrea Aparecida Alves.

A versão da Polícia Militar é outra.

“A Polícia Militar estava realizando uma operação batida policial. Devido ao local ser constante de denúncias de tráfico de drogas, a polícia deslocou até o bar. E chegando no bar, ao realizar abordagem da esposa do proprietário, o comerciante saiu de imediato do interior do balcão e foi em direção aos policiais, tendo inclusive empurrado um dos policiais. Neste momento, devido a sua agressividade, foi necessário a sua imobilização, vindo ele, devido à sua agitação, a cair juntamente com o policial militar”, afirma o capitão Flávio Costa.

Depois de imobilizado e algemado, Flávio começou a passar mal e foi levado para o pronto-socorro. No prontuário, o médico relatou que foram feitos exames, mas o comerciante ja não tinha sinais vitais. A morte deixou moradores da cidade revoltados. Amigos e parentes que estavam do lado de fora do pronto socorro começaram a chamar os policiais de assassinos.

O sargento que participou da ocorrência foi detido e levado para o batalhão da PM em Varginha. De acordo com o capitão, o golpe utilizado pela policial, um ‘mata-leão’, faz parte das técnicas de imobilização da PM.

“É a técnica mais usada, e ela é aprovada por especialistas. No caso, foi uma fatalidade em relação da agressividade. Entretanto não se tem ainda a causa da morte”, diz Costa.

Ainda de acordo com a polícia, o comerciante tinha passagens por tráfico de drogas, ameaça e disparo de arma de fogo. A PM diz ainda que o bar seria usado para venda de drogas.

A assessoria da Polícia Civil em Belo Horizonte informou que o laudo com a causa da morte do comerciante fica pronto em 30 dias. Flávio foi enterrado no início da noite desta segunda-feira (7) em Boa Esperança.




Expresse sua opinião. Comente a matéria acima!