Morador pode ter passado informações para assaltantes roubar banco no Sul de MG

Morador

Morador pode ter passado informações para assaltantes (Foto: Reprodução)

Polícia acredita que possa ter partido de algum morador da cidade as informações para que criminosos assaltassem a agência do Sicoob em Jacuí na noite dessa terça-feira (18). O grupo rendeu as famílias de três funcionários e mais um homem que viu a movimentação quando passava pelo local.

“Os autores fazem um levantamento do prego, da rotina do banco, dos funcionários do banco. Então acreditamos que podem ser pessoas da cidade ou de outras cidades. A Polícia Civil não descarta nenhuma das hipóteses”, explicou o delegado Matheus Ponsancini, responsável pelo caso.

A ação aconteceu por volta de 20:30. Como a intenção dos criminosos era entrar na agência e a gerente não estava na cidade, o marido dela foi obrigado a levar o grupo até a casa do sub-gerente. Em seguida, foram até uma terceira funcionária que estaria com as chaves.

Já no banco, o sub-gerente foi obrigado a desligar os alarmes e as câmeras de monitoramento. Enquanto isso, parte dos assaltantes circulou por 15 minutos na cidade, tentando não levantar suspeitas. Um homem que passava pelo local e não quis ser identificado, acabou sendo rendido também.

“Estava descendo a esquina, o rapaz gritou: ‘Volta aqui’. Eu já vim. A hora que eu cheguei perto dele, eu vim, ele arracou a arma assim da camisa, mandou eu entrar para dentro. [Disse:] ‘Você passou aqui na hora errada, entra para dentro. Você vai ficar aqui conosco agora'”, contou.

“É um período de 15 minutos, que a agência, ou o sistema de monitoramento faz a liberação desse sistema do banco. E não levantou suspeita alguma. E dentro dessa situação, foi feito o roubo”, disse o sargento Agnaldo de Souza, da Polícia Militar.

O Caso

Polícia Civil investiga a ação de uma quadrilha que assaltou um banco na noite desta terça-feira (18) após sequestro relâmpago de funcionários e familiares em Jacuí. Segundo a Polícia Militar, dois homens armados e encapuzados lideraram o roubo, que terminou com a retirada de R$ 200 mil em dinheiro do cofre e dos caixas eletrônicos do Banco Sicoob, sem que houvesse arrombamentos ou explosões.

Conforme a PM, a dupla de assaltantes abordou, inicialmente, o marido e a filha de 11 anos da gerente do banco na entrada da casa da família, no bairro Vila Diamantina, por volta das 20h30. Ao não encontrarem a gerente, que estava em viagem, os assaltantes seguiram no carro das vítimas até a casa do sub-gerente.

Criança foi ameaçada de morte durante ação

Ainda de acordo com a PM, sob a ameaça de que mataria a criança de 11 anos, o vice-gerente foi obrigado a entrar sozinho na agência, desligar o alarme e o circuito de câmeras de segurança para que os assaltantes pudessem abrir o cofre e pegar o dinheiro. um assalto quando entrou no carro do marido da gerente.

Ainda de acordo com a PM, sob a ameaça de que mataria a criança de 11 anos, o sub-gerente foi obrigado a entrar sozinho na agência, desligar o alarme e o circuito de câmeras de segurança. Enquanto isso, os criminosos deram voltas de carro com as vítimas durante cerca de 15 minutos, até que um dos assaltantes pode entrar na agência para abrir o cofre e pegar o dinheiro.

Vítimas só puderam chamar PM na madrugada desta quarta-feira

As vítimas foram deixadas na casa da gerente, enquanto o sub-gerente levava os suspeitos até uma estrada, no acesso a Guaxupé (MG), onde um comparsa os aguardava de carro.

Os celulares das vítimas foram confiscados e só devolvidos após o roubo. Sob ameaças, o vice-gerente também teria sido orientado a aguardar 40 minutos antes de chamar os policiais. O serviço de emergência da PM só foi acionado durante a madrugada desta quarta-feira (19).

Criminosos sabiam de detalhes sobre agência e funcionários

Por volta das 22h30, a PM chegou a ir até à agência bancária após ser notificada pela empresa de segurança, que entranhou o alarme ter sido acionado por alguns segundos antes do sistema de câmeras ter parado de gerar imagens. No entanto, a polícia informou que, ao chegar à agência, não encontrou nenhuma movimentação estranha ou sinal de arrombamento.

A PM informou que as vítimas contaram que os criminosos tinham detalhes de funcionamento da agência, de funcionários e familiares. A dupla também tinha conhecimento de o pagamento de produtores de leite ocorreria nesta quarta-feira. Até esta publicação, nenhum suspeito havia sido detido.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.